Sexta-feira, 25 de Maio de 2007

LITERATURA

 
No entanto, acredito numa luz que tem de despontar; não sei quando, mas tem de despontar. Entre as cortinas, continua a espreitar, na esperança de voltar a ver o homem de negro...
 
                                                Baptista-Bastos,
                                                in “As Bicicletas em Setembro”
 
 
 
Aqui há dias dei de caras com esta frase do Roland Barthes : “A literatura não permite caminhar, mas permite respirar ..” Fiz um post sobre esta frase e disse que não estava lá muito de acordo com o sentido da dita. E comentaristas houve que afinaram pelo mesmo diapasão do que eu. Citei até o escritor Baptista- Bastos quando ele diz que “A literatura é a sobremesa; o doce  da vida”. Portanto...caminhemos.
 
Ora é isso que eu sinto na leitura que estou a fazer de “As Bicicletas em Setembro” onde já recolhi frases que me agradam e já fiz dois sonetos que coloquei no blog. Um foi colocado hoje, O AIRES; MORREU e o outro, acompanhado de umas notas literárias, foi publicado no dia 23 de Maio p.p. com o título  " A DÚVIDA E A INDULGÊNCIA".
 
Para mim, uma grande obra é aquela que me leva atrás e que me agarra. Sinto isso nas obras do Paul Auster e agora nestas bicicletas, como igualmente senti nas outras obras de Baptista-Bastos que já li. Mas o livro tem uma lacuna; uma grande lacuna mesmo; falta-lhe a dedicatória. Normalmente Baptista-Bastos dedica as suas obras à mulher e aos filhos... “mais uma vez para a Isaura” costuma ele dizer. E desta vez "nicles". É uma questão que introduzo aqui, apenas, para referir ser uma das coisas que mais me impressionam em José Mourinho, o nosso campeão treinador de futebol do Chelsea em Inglaterra e que é a sua solidez conjugal. E que sei que Baptista-Bastos também dispõe disso...
 
O primeiro momento alto do livro é aquela frase: “a dúvida e a indulgência são luxos que não podem ser oferecidos...” que teve direito a soneto. Aprendi depois que é antolhos que se chama àquelas vendas que se colocam nos olhos dos animais ( Os cavalos eram ajaezados de veludo negro, apunham-lhes enormes antolhos...) e não antrolhos, como se dizia na minha terra, no tempo em que no campo se “engatavam” as mulas ao engenho para tirar água das noras.
 
"Tinham falta de alguma coisa, e algumas delas de tudo; porém, a maior era a falta de esperança". "Em cada mulher há um mistério por descobrir". "Há muitas coisas que se não dizem, ou só se podem dizer através do silêncio ou do olhar"." É melhor ter amado e perdido do que nunca ter amado"
 
Esta última frase vale o livro. Mostrei-a à minha mulher que a aceitou na sua plenitude. O amor está aí para ser utilizado, disse-me ela. Não estou a falar de disparates e asneiras que muita gente anda por aí a fazer. Estou a falar de amor, emoções e sentimentos, estou a falar de dádiva, de entrega, de dar e receber, do envolvimento....  
 
“Como era o seu homem?”, perguntou uma. “O meu marido é um traste”, diz uma delas. “ Há anos que não tenho um contentamento, há anos”. “Como era o seu marido?” “Foi há muito tempo...” São estas as trajectórias amorosas de que se fala em “As Bicicletas em Setembro”.
 
"Jesuína sabe que na vida é preferível deixar algumas coisas por fazer; e o pior que pode acontecer a uma pessoa é não ter ninguém em quem pensar. Também sabe que o amor traz o desejo de descobrir coisas novas".
 
 
 
O BALALAICA
 
Às vezes sentava-se nos degraus da taberna...
Bebia e conversava.. a taberna já não existe!
E é pena; lá, sabiam tudo da vida moderna ...
E conversavam menos da morte essa triste.
 
As pessoas devem rir quando vão a enterrar...
No enterro o Balalaica expunha estatura enorme.
Os ombros eram descaídos para a todos lembrar
Que parecia corcunda e a mão esquerda disforme.
 
Não se lhe sabia o nome verdadeiro nem mulher,
Comia nas tabernas ou numa casa de pasto qualquer
E dava os passeios pela colina enquanto dia.
 
Dormia no que fora um armazém de ferramentas
Úteis para remover essas ossadas... cinzentas:
Ninguém sai vivo da vida, era o que ele dizia
 
Estas palavras são para si, Baptista-Bastos.
                                                                                João Bito Sousa             
                                                                                                
 
 
publicado por SOUSINHA às 20:40
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Manel Piorna a 26 de Maio de 2007 às 13:08
O Balalaica é fixe! É verdade, ninguem sai vivo da vida. Para quê chorar?
Fazia o meu amigo padre Moisés um funeral, cujo defundo tinha deixado em testamento, que ninguém chorasse e que fosse acompanhado de canticos. Tudo muito bem, só que o Moisés após as cerimónias, foi aburdado por um velhote o qual lhe afirmou: Bonito funeral! Sim senhor! Senhor padre aponte lá aí nos seus livros, que eu quero um funeral assim, e mais uma banda de música. Deveriamos ir todos assim alegres e contentes. O que achas João? Por mim era "porreiro"!
De Manel Piorna a 26 de Maio de 2007 às 13:09
O Balalaica é fixe! É verdade, ninguem sai vivo da vida. Para quê chorar?
Fazia o meu amigo padre Moisés um funeral, cujo defundo tinha deixado em testamento, que ninguém chorasse e que fosse acompanhado de canticos. Tudo muito bem, só que o Moisés após as cerimónias, foi aburdado por um velhote o qual lhe afirmou: Bonito funeral! Sim senhor! Senhor padre aponte lá aí nos seus livros, que eu quero um funeral assim, e mais uma banda de música. Deveriamos ir todos assim alegres e contentes. O que achas João? Por mim era "porreiro"!

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. FICA SUSPENSO ATÉ NOVA OR...

. A HORTA BIOLÓGICA

. AS GEADAS

. A CARVOARIA DO PASSOS

. UTENSÍLIOS AGRÍCOLAS

. O TREINO DO SENHOR CARVAL...

. FARO DENTRO DAS MURALHAS

. UM BOM FIM DE SEMANA

. IGREJA DE S. PEDRO

. A RUA DOS BRACIAIS

. AO POETA MANUEL JOSÉ E F...

. A HORTA DOS BRITOS

. O MEU PRIMO SEBASTIÃO BRI...

. AS MOÇAS E OS MOÇOS DO M...

. POESIA DO DR. UVA

. ALÓ SANTA BÁRBAAR DE NEXE...

. FOMOS JOGAR À FALFOSA.

. ESTAMOS A VOLTAR.

. TUDO CHEGA AO FIM.... ATÉ...

. DA IMPRENSA

. VIVA A SOLEDADE URBANO.

. HOUVE FESTA NO SÍTIO DA A...

. AS HORTAS E A GRICULTURA...

. A FRASE DE HOJE

. PORQUE HOJE É DOMINGO

. BOM FIM DE SEMANA PARA TO...

. VELHO DO RESTELO

. CHEGUEI...

. EU NÃO POSSO ACREDITAR...

. A VIDA DIFÍCIL DOS MIÚDOS...

.arquivos

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.favoritos

. SANTA BÁRBARA DE NEXE

blogs SAPO

.subscrever feeds