Sexta-feira, 29 de Junho de 2007

AO POETA MANUEL JOSÉ E FILHOS de FARO.

(as rosas que o poeta MANUEL JOSÉ tão bem tratava...)
A SOLEDADE URBANO, uma amiga cá da casa, enviou-me este texto que o ajeitei como pude  e que se publica com muito prazer, pois refere-se a gente amiga.
Com prefácio do nosso querido e sempre recordado, Dr.  Emilio Campos Coroa, editado em Faro - 1980,  com o apoio da Camara Municipal de Faro,  capeado com fotografia do nosso SABINO sentado num banco da  Alameda, onde viveu rodeado das suas rosas que tratava com desvelado carinho, tenho na minha mão o livro de poemas  A MINHA PAIXÃO, com  a dedicatória,
                                                                   "sendo eu já velhinho
                                                                  o meu livro nasceu agora
                                                                  fica orfão o pobrezinho
                                                                  quando eu me for embora


                                                                  eu nasci no Outono
                                                                  já as folhas iam caindo
                                                                  e despertando daquele sono
                                                                  abriu os olhos sorrindo

Faro,19-12-81   Sabino, o desconhecido

e inicia o seu livro, assim                  
                                            
                                              Em vida quero deixar
                                               meu livro de poesia
                                               Quando a vida me  levar
                                               minh'alma não vai vazia


e continua

                                            Não sou poeta ou pintor
                                            Sou modesto e sem cultura
                                            O que faço  é com amor
                                            Sou bem pobre criatura       .....            


e  termina   o seu livro com   FICA CÁ EM MEU LUGAR

                                             O meu livro é o tesouro
                                             da minha pobre velhice
                                             ha  nele paz e amor
                                             amor feito de meiguice

                                          O meu livro é um amigo
                                          que um dia eu vou deixar
                                          por não poder ir comigo
                                          Fica cá em meu lugar      
 
( Como era grande
sem saber,  e humilde, o nosso  MANUEL JOSÉ

" A MINHA PAIXÃO",  uma preciosidade, minha, muito minha,  que guardo na minha coleçcão
de poesia e de poetas da "nossa  cidade" , mas que aqui compartilho como uma HOMENAGEM  
aos SaBINOS .

                                                            -- Soledade Urbano

NOTA: A Soledade Urbano mandou-me estes versos do poeta popular de Faro, um senhor funcionário dado Jardim ALAMEDA de FARO, de nome Manuel José..
 
Eu ainda conheci o senhor no tempo em que eu não sabia que ele era poeta, pois creio que publicou o livro muito mais tarde. Este poeta tinha dois filhos, um mais velho do que eu, que faleceu vítima de acidente de automóvel (foi atropelado, ouvi dizer) à meia légua de Olhão, dizia-se que cantava bem o fado.
 
O outro era o Toino, ou o António Manuel Ramos José, que andou sempre comigo lá na Escola, desde o primeiro ano até ao quinto e esteve comigo naquela final do campeonato interno de andebol, quando perdemos por um a zero com os electricistas do TONI Casaca. 
 
Aí vai um soneto.
 
AOS SABINOS
 
Conheci o Pai e os dois filhos que já se foram...
E foi alguém os levou não se sabe para onde.!
Resta saber se foi sorte ou azar o que tiveram
Pois da vida não sabemos quando temos avonde.
 
Dos três... conheci melhor o filho mais novo
Era o Toino o velho amigo, o campeão!...
Disseram-me que tinha artes de curar o povo
E que a força vinha das duas ou de uma só mão.
 
E ainda recordo o irmão mais velho e o Pai
Um era do Banco e o outro grande poeta me sai
Portanto, gente que merecia estar ainda viva ...
 
Mas que fazer perante tamanha injustiça...
Alguém que os encontrou num dia sem preguiça
E meteu mãos à obra de forma proibitiva...
 
   João Brito Sousa..
 
publicado por SOUSINHA às 15:19
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. FICA SUSPENSO ATÉ NOVA OR...

. A HORTA BIOLÓGICA

. AS GEADAS

. A CARVOARIA DO PASSOS

. UTENSÍLIOS AGRÍCOLAS

. O TREINO DO SENHOR CARVAL...

. FARO DENTRO DAS MURALHAS

. UM BOM FIM DE SEMANA

. IGREJA DE S. PEDRO

. A RUA DOS BRACIAIS

. AO POETA MANUEL JOSÉ E F...

. A HORTA DOS BRITOS

. O MEU PRIMO SEBASTIÃO BRI...

. AS MOÇAS E OS MOÇOS DO M...

. POESIA DO DR. UVA

. ALÓ SANTA BÁRBAAR DE NEXE...

. FOMOS JOGAR À FALFOSA.

. ESTAMOS A VOLTAR.

. TUDO CHEGA AO FIM.... ATÉ...

. DA IMPRENSA

. VIVA A SOLEDADE URBANO.

. HOUVE FESTA NO SÍTIO DA A...

. AS HORTAS E A GRICULTURA...

. A FRASE DE HOJE

. PORQUE HOJE É DOMINGO

. BOM FIM DE SEMANA PARA TO...

. VELHO DO RESTELO

. CHEGUEI...

. EU NÃO POSSO ACREDITAR...

. A VIDA DIFÍCIL DOS MIÚDOS...

.arquivos

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.favoritos

. SANTA BÁRBARA DE NEXE

blogs SAPO

.subscrever feeds