Sábado, 22 de Setembro de 2007

A HORTA BIOLÓGICA

 

A HORTA BIOLÓGICA

Parte-se do ponto de vista que o  consumidor também deve decidir-se na
escolha dos seus produtos. Actualmente, existe  uma consciência
generalizada sobre a má qualidade da alimentação industrial.
Objecta-se, por vezes, que sendo a poluição uma ocorrência de carácter
geral, ninguém pode pretender  a obtenção de produtos biológicos.

Se ao agrobiologista não estiver ao abrigo das manobras dos seus
vizinhos o seu solo terá adquirido uma composição diferente, que não
se compara com a de uma terra que  se possa considerar como simples
suporte para os adubos solúveis.

Este solo será rico em húmus, será habitado por uma vida intensa:
microorganismos, bactérias, fungos,, minhocas, etc. Portanto, o
problema deve colocar-se com clareza:

"UVIDAR-SE  DA RODUÇÃO BIOLÓGICA SOB PRETEXTO DE QUE NEM TODAA
SUPERFÍCIE DO GLOBO PODE RECONVERTER-SE AOS MÉTODOS AGRÍCOLAS NATURAIS
É UMARGUMENTO D MÁ- FÉ ...".

Portanto cada individuo pode produzir simplesmente uma parte da sua
alimentação, caso queira saber o que está a comer e pretenda renovar,
simultaneamente, os laços estabelecidos com aterra, com os vegetais,
que apenas pedem para ser amados de modo a poderem dar, também algo de
si.

Recolha de

JOÃO BRITO SOUSA


publicado por SOUSINHA às 17:15
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sábado, 15 de Setembro de 2007

AS GEADAS

PROTECÇÃO NA AGRICULTURA


Aos trabalhos de manutenção agrícola junta-se agora uma luta
incessante contra os acidentes  e os inimigos da agricultura, cujos danos são por vezes tão importantes que afectam não só a produção como
também a podem  alterar ou destruir.

São exemplos disso, os acidentes de ordem climática: as geadas, a queima, o granizo, raios e o vento.

AS GEADAS

As geadas podem cair pelo Outono, no Inverno e na Primavera; mas  a
acção e as  consequências deste agente climático variam consoante a
estação e em função da intensidade do frio  e do estado das plantas.
As geadas de Outono caem antes da quedadas folhas; as geadas de
Inverno caem desde a queda das folhas até ao  abrolhamento e as geadas
da Primavera caem durante e até depois doabrolhamento.

É muito importante proteger as plantas das geadas por causa de
garantir as colheitas.

A colheita é um conjunto de operações que permitem retirar as uvas das
cepas e conduzi-las até  ao local do armazenamento. O termo colheita
aplica-se  às uvas de mesa enquanto o termo vindima está mais
reservado às uva s para vinho.

O SABOR DAS  UVAS É EXTREMAMENTE  IMPORTANTE PARA A DETERMINAÇÃO DA
QUALIDADE DO VINHO.


João Brito Sousa
publicado por SOUSINHA às 17:57
link do post | comentar | favorito
Sábado, 8 de Setembro de 2007

A CARVOARIA DO PASSOS

O senhor PASSOS era comerciante e tinha ali no Patacão, uma loja de negócio em frente da casa da Professora Silvana, a mãe do Brigadeiro Salvador Carvalho e do bancário Custódio Julião.
 
Talvez que no lugar do Passos tivesse sido noutros tempos passados o negócio do Virgílio Baeta que ainda penso ter conhecido vagamente.
A zona era boa para o negócio e quem vinha de Mar e Guerra para o Patacão o primeiro estabelecimento que encontrava era o do Ti Zé Manelinho, cujos clientes mais fiéis eram o Ti Mateus Barras e o Ti Zé da Cova. Depois apareciam outros.
 
Um pouco mais à frente para quem vai, à esquerda era a carvoaria do PASSOS, que vendia palha, carvão, alguns bens alimentares e uns copos 
 
O meu avô Zé Apolo costumava andar por lá.
 
O senhor Passos tinha dois filhos; um era a GRACIETE , uma menina muito bonita.
 
Ai vai um poema.
 
 
A CARVOARIA DO SENHOR PASSOS..
 
 
Lembro-me bem do Passos; de tez morena
Era um homem de trabalho.. camionista!...
E a sua empreitada não era nada pequena.
E para ele... cada negócio era uma conquista..
 
Era o Pai da Graciete de grande beleza ...
Que raio de moça aquela... parecia moura!...
Se os encontrasse hoje por aí de certeza...
Que reconheceria aquela cabecita loura..
 
Amigo Passos... onde é o serviço agora?..
Onde é que para, onde está onde mora?
Diga onde é.. ainda gostava de o ver um dia.
 
Quando for ao Patacão diga-me por favor..
Que eu, se puder, vou lá ter com o senhor.
E vamos comemorar o encontro na carvoaria.
 
 
João Brito Sousa
publicado por SOUSINHA às 12:28
link do post | comentar | favorito
Domingo, 2 de Setembro de 2007

UTENSÍLIOS AGRÍCOLAS

O ARADO
Ao amigo MONTEIRO que nunca teve a felicidade de condzir um arado.
 
 Era o meu utensílio preferido.
 
Anda bonita ... vai a rego laranja.. Era assim que Mestre Joaquim Boieiro falava com o gado. Com uma só mão na charrua, segurava na outra a aguilhada e falava aos animais.. Vai laranja...anda lá bonita, vai...
 
Nunca lavrei com vacas nem com bois. A minha especialidade era a mula. Lavrava e gradava a terra com a Licas, o muar de serviço que havia lá em casa. Era dia grande quando o meu padrasto me dizia: João, vais lavrar a folha grande na Hortinha da Mercedes Ladeira (terras arrendadas).
           
Ia buscar a Licas à cabana, desatava a arreata do cabresto que estava preso na argola da cabana onde ela dormia, punha-lhe o mulim no pescoço e depois o cabresto de sair para o carro, pegava-lhe pela arreata e metia-a debaixo da cangalho do carro de mula, que por sua vez, estava lá em cima, pois o carro estava apoiado no chão, pela parte de trás, .pela rabicha. Como o cangalho do carro estava lá em cima puxava – o com a ajuda do descanso, o utensílio de apoio..
 
Uma vez engatada a Licas no carro, vinha para a estrada com ela e conduzia-a através das arreatas ou rédeas, umas cordas que vinham do cabresto até `as minhas mãos, eu que ia sentado na cabeça do carro, logo a seguir à parte de trás da LICAS. As arreatas ajudavam a conduzir o animal, pois indicavamo-lo, puxando-se a arreata para o lado que queríamos que o muar se voltasse.
 
E assim chegava`a Hortinha . 
 
Depois era só engatar a Licas no arado de madeira, que pegava com uma mão só, enquanto com a outra pegava nas arreatas para conduzir o animal.
 
E que belos regos que eu fazia.
 
Que felicidade a minha pela eficácia do trabalho realizado.
 
Que saudades.
 
E a Hortinha ainda lá está.
 
João Brito Sousa.
publicado por SOUSINHA às 19:03
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. FICA SUSPENSO ATÉ NOVA OR...

. A HORTA BIOLÓGICA

. AS GEADAS

. A CARVOARIA DO PASSOS

. UTENSÍLIOS AGRÍCOLAS

. O TREINO DO SENHOR CARVAL...

. FARO DENTRO DAS MURALHAS

. UM BOM FIM DE SEMANA

. IGREJA DE S. PEDRO

. A RUA DOS BRACIAIS

. AO POETA MANUEL JOSÉ E F...

. A HORTA DOS BRITOS

. O MEU PRIMO SEBASTIÃO BRI...

. AS MOÇAS E OS MOÇOS DO M...

. POESIA DO DR. UVA

. ALÓ SANTA BÁRBAAR DE NEXE...

. FOMOS JOGAR À FALFOSA.

. ESTAMOS A VOLTAR.

. TUDO CHEGA AO FIM.... ATÉ...

. DA IMPRENSA

. VIVA A SOLEDADE URBANO.

. HOUVE FESTA NO SÍTIO DA A...

. AS HORTAS E A GRICULTURA...

. A FRASE DE HOJE

. PORQUE HOJE É DOMINGO

. BOM FIM DE SEMANA PARA TO...

. VELHO DO RESTELO

. CHEGUEI...

. EU NÃO POSSO ACREDITAR...

. A VIDA DIFÍCIL DOS MIÚDOS...

.arquivos

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.favoritos

. SANTA BÁRBARA DE NEXE

blogs SAPO

.subscrever feeds